Conheça o processo de certificação de Pellets de madeira com o sistema ENplus ISO 17225-2

Conheça o processo de certificação de Pellets de madeira com o sistema ENplus ISO 17225-2

Os sistemas de certificação poupam os consumidores da tarefa de verificar as características do produto em comparação com as diretrizes de uma norma ISO, através de um processo de verificação sistemático e eficiente. Um sistema de certificação ajuda a proteger a marca registada e a combater fraudes, garantindo que o selo seja sempre reconhecido como uma marca confiável.

De acordo com informações do site oficial da ENplus, o sistema de certificação – iniciado pelo German Pellet Institute em 2010 e desenvolvido pela European Biomass Association, que sedia o proprietário do sistema, o European Pellet Council (EPC) –, busca assegurar uma qualidade superior e boas práticas para operadores cujas atividades são peletizar, armazenar, ensacar, negociar e transportar pellets de madeira.

Segundo informações da monografia “Uso de pellets de madeira para fins energéticos: pesquisa de mercado”, o sistema de certificação ENplus tem por objetivo garantir o fornecimento de pellets de madeira com qualidade bem definida e estável para as instalações de aquecimento e de energia, e, além de cumprir as disposições ISO 17225-2, o selo ENplus representa baixas emissões de aquecimento, sem problemas e com alto valor energético.

Os pellets certificados ENplus representam 65% do mercado europeu. Na Alemanha e na Áustria, onde o mercado é mais exigente, essa porcentagem sobe para até 90% do mercado (RAKOS, 2015).  A certificação inclui os seguintes pontos importantes: requisitos para a produção e para o controle de qualidade de pellets de madeira; requisitos do produto; requisitos para rotulagem, logística e armazenamento; e requisitos para a entrega ao consumidor final. Desde os primeiros passos do processo produtivo até ao procedimento de entrega, é garantido que todos os profissionais tenham orientações detalhadas, procedimentos de controle eficientes e formação para garantir níveis de qualidade elevados e consistentes.

Neste quesito, os pellets também precisam obedecer uma série de especificações técnicas. Juntamente ao comprimento e diâmetro, os pellets que são certificados pelo ENplus, são testados quanto à durabilidade mecânica, percentagem de finos, cinza e umidade, densidade aparente, poder calorífico e percentagem de aditivos. Todos estes requisitos somados, garantem o correto funcionamento dos equipamentos.

A certificação é válida por três anos e inclui auditorias anuais para produtores e comerciantes com estações de ensaque e uma auditoria anual para comerciantes certificados. A qualidade dos pellets é avaliada conforme critérios físicos e químicos, e por esse motivo, a Koala Energy é uma das primeiras empresas no setor de Pellets de madeira a conquistar o certificado ENplus A1. Com isso, os requisitos são baseados na norma internacional ISO 17225-2, que garante qualidade em toda a cadeia de produção.

Além disso, para fabricação dos pellets, a Koala Energy utiliza madeira reflorestada e certificada pelo FSC, que é uma instituição internacional e sem fins lucrativos que tem como objetivo facilitar o manejo das florestas, seguindo princípios e critérios que conciliam ecologia, benefícios sociais e viabilidade econômica. O selo FSC garante a origem do produto, diminuição do desmatamento das florestas e consumo consciente.

REFERÊNCIAS

ENplus. Um Sistema de Qualidade. Disponível em: https://bit.ly/2EulXDd. Acesso em: 17 de dezembro de 2018.

EUROPEAN PELLET COUNCIL - EPC. Handbook for Certification of Wood Pellets for Heating Purposes. April, 2013.

RAKOS, C.A.Q. et Al: European Pellet Council. In: Argus Biomass Markets, weekly biomass market news and analysis. 2015.

Uso de pellets de madeira para fins energéticos: pesquisa de mercado. Disponível em: https://bit.ly/2S8PkPo. Acesso em 17 de dezembro de 2018.


Imagens Relacionadas

Posts Relacionados

Tags

certificação qualidade
19 de dezembro de 2018
‹ Voltar